Projeto ‘Das Marias’ reeduca homens agressores de mulheres

Com o intuito de diminuir os índices de violência contra a mulher, a Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho (Sedest), lança nesta quarta-feira, 11, no Centro Universitário Leão Sampaio - Campus Lagoa Seca, o projeto 'Das Marias' de reeducação de homens agressores através de acompanhamento psicossocial com equipe especializada do Centro de Referência da Mulher (CRM).

Juazeiro do Norte é a cidade com o maior número de casos de violência contra a mulher, no interior do Ceará, segundo a titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Débora Gurgel. O município perde apenas para a DDM de Fortaleza em número de registro de inquéritos instaurados.

É diante dessa realidade, que a Sedest lança o programa como forma de enfrentamento articulado que propicie além do atendimento integral, humanizado e capacitado às vítimas, um impacto maior na diminuição da reincidência da violência, bem como na mudança do comportamento sexual desses homens. “A prática puramente punitiva não resolve o problema, não adianta trabalhar apenas com a mulher agredida, é preciso além das campanhas preventivas, que o agressor, ator principal desse tipo de violência, seja acompanhado psicossocialmente, caso contrário ele vai voltar a agredir”, afirma a Diretora da Proteção Social Especial, Raquel Pinheiro.

O Projeto tem sido acompanhado pelo Prefeito Municipal, Arnon Bezerra, que tem adotado, através de políticas Públicas municipais, um trabalho de prevenção e combate à violência contra a mulher no município.

O Programa é uma solução inovadora que terá como porta de entrada a Polícia Militar, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e o serviço de atendimento psicossocial e jurídico desenvolvido no CRM de Juazeiro do Norte, onde serão prestados diversos tipos de serviços e atendimentos, como: Acolhimento, Atendimento Inicial, Atendimentos Individuais e Atividades em Grupos, como parte do cumprimento da pena a ele imposta.

Durante as reuniões obrigatórias, serão trabalhados temas como: gênero, autoestima, disciplina, violência doméstica contra a mulher, patriarcado, direitos das mulheres, constituição das relações familiares, dentre outros, com espaço para a verbalização dos autores do fato que trocarão experiências em busca de entender o caráter negativo da violência doméstica.

Fotos